Como viajar quando o dólar explode

Foto: Rosane Serro
Não fique sem rumo com a alta do dólar - Foto: Rosane Serro

Você estava juntando suas economias para as férias e para as festas de fim de ano quando a desaceleração da economia chinesa e a incerteza perante o ajuste fiscal proposto pelo Governo brasileiro se uniram para tirar o seu sono. O dólar comercial bate a maior cotação da história do Real (R$ 4,25 nesta quinta-feira, 24 de setembro de 2015) e o euro não está sendo negociado por menos de R$ 4,65 a 4,95. O que fazer? Estamos de acordo que, em tempos de crise e dólar forte, o momento é de redução das expectativas, certo? Ou seja, hora de garantir recursos para a sobrevivência e deixar as extravagâncias de lado. Os planos de viagem entram neste escopo e devem se adequar à nova conjuntura, a menos que você se arrisque a ficar sem dinheiro no meio da viagem e comece a fazer dívidas no cartão de crédito e em dólar.

Temos algumas alternativas para colocar este plano em ação. Para você que sonhava com um curso de massagem tailandesa em Chiang Mai, um retiro do Osho, um mergulho no Mar Vermelho ou uma tatuagem de bambu no meio da selva papuásia, tais medidas serão dolorosas, sem dúvida. Mas pense que pior do que perder a Nuit Blanche (o evento em que todos os museus e centros culturais ficam abertos durante a madrugada), em Paris, no próximo dia 03 de outubro, é pedir empréstimo bancário e passar meses controlando o orçamento porque exagerou nos gastos. Portanto, respire fundo, acesse seu ponto zen e encare os fatos:

Cancele

É a medida mais drástica. Cometi esta semana. Há quatro meses, numa promoção da TAM, troquei minhas milhas por uma passagem para Tóquio por apenas 60.000 pontos. A ideia era fazer um viajão pela Ásia, já que os custos de transporte e hospedagem pelo continente são mais reduzidos. Só que 10 dias no dormitório feminino do Space Hostel (a 20 minutos de metrô de Ginza e do Mercado de Peixes de Tsukiji) está saindo a R$ 1.254,00. E isto sem comida, locomoção ou visita a qualquer museu. Se calculasse uma faixa de R$ 120 com gastos de hospedagem por dia, abrindo mão de conforto e privacidade, passando por Vietnã (20 dias), Laos (sete dias), Camboja (sete dias), Myanmar (seis dias), Tailândia (10 dias), gastaria R$ 7.200,00 só para ter um teto sobre a cabeça enquanto dormisse. Resultado, pesei prós e contras e pedi o reembolso das milhas. A TAM cobrou uma penalidade de R$ 796,00. E as milhas e a taxa de embarque serão estornadas na conta do Programa de Fidelidade e no cartão de crédito nos próximos 30 dias.

Adie

As passagens têm prazo de um ano para serem usadas. Os hoteis – espero – foram contratados com a possibilidade de cancelamento gratuito. Espere esta maré passar e se reprograme. Enquanto isso, vá economizando para ter uma viagem mais confortável lá adiante.

Mude de hotel

Passar de um Airbnb para um três estrelas limpo, mas com um recepcionista paquistanês que trabalha descalço e come no balcão (Barcelona, 2013) não mata ninguém. Assim como trocar um três estrelas por um quarto privativo em um hostel. Se você passa o dia fora, não vai sentir tanta diferença. Tudo bem, não haverá a banheira, as toalhas e a prataria do George V. Mas se você pode usar os cristais do George V, por que estaria preocupada com a crise e lendo esta matéria?…

Reduza o tempo de permanência

Sinta um gostinho, mas não deixe de ir. Passe de 20 dias para 15, de 15 para 10, de 10 para cinco. Não importa. Seu único mantra, neste caso, é aproveitar tudo ao máximo.

Reduza os gastos diários

Se você era das que estipulavam um total de US$ 100 para gastar por dia, pense em se movimentar com R$ 50. Não jante, lanche. Aproveite os eventos gratuitos. Caminhe o máximo que puder. Fotografe muito (uma diversão que não custa nada). Compre vinhos, queijos, pães e frios no mercado e faça sua noite especial, economizando uns 150 euros (R$ 697,50!) naquele restaurante de poucas estrelas. Sinta a atmosfera. Relaxe em parques. Assista shows em locais públicos. Admire obras de arte. Observe gente.

Presentes nem pensar

Sua mãe vai ficar magoada e suas irmãs secretamente lhe acusarão de ingrata e egoísta. Nada que sua terapeuta não cure.

Mude de rota

A ideia era fazer Sul da Espanha? Que tal um roteiro gastronômico no Peru? Programado um safari no Quênia? Já pensou em ir ao Pantanal?

Troque o mundo por sua aldeia

Os estrangeiros são loucos pelo Brasil e nós, donos do paraíso, insistimos em achar que a grama do vizinho é mais verde. Cada estado do nosso território esconde tesouros que o restante do país desconhece. Como os cânions de Minas Gerais (Capitólio) e Sergipe (Xingó). O litoral potiguar, com seus cenários mutantes e atrações (falésias, piscinas naturais, lagoas, bares submersos, skibundas, aerobundas, trilhas…) a cada 10 ou 20 Km de praias e dunas. E o interior do Espírito Santo, marcado pelas cachoeiras de Domingos Martins e pela gruta do Limoeiro, na cidade de Castelo. Muna-se do seu espírito bandeirante e vá desbravar nossa geografia. Temos certeza que você encontrará paisagens deslumbrantes, ótima comida, acolhimento, simpatia e acontecimentos inesperados.

Afinal, não era isso mesmo que você estava em busca enquanto sonhava em pegar aquele avião?…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *